/ STARTUP

O que é MVP e para o que ele serve?

Neste artigo, entenderemos o que é MVP (Minimum Viable Product) e como ele pode ser fundamental na criação de novos produtos ou serviços inovadores.

Para você que está gerenciando um novo produto ou serviço, ou até mesmo se está iniciando um novo negócio, já deve ter se deparado com este nome e ficou sem entender o que significa MVP. Mas esta dúvida é passageira, uma vez que MVP é uma sigla para Minimum Viable Product e significa Produto Mínimo Viável.

Quando uma empresa vai lançar um novo produto ou serviço, principalmente se for uma startup, ela precisa testar a viabilidade do seu projeto antes de executá-lo em larga escala ou correr atrás de grandes investimentos.

É neste momento em questão que se encaixa o MVP, uma versão mínima do produto com suas funcionalidades básicas para verificar se este cumpre com os principais objetivos para o qual ele foi idealizado, ou seja, se ele solucionou determinado problema.

Em outras palavras, é através do MVP que será testado a aceitação, usabilidade, eficiência e comparação com produtos ou serviços caso existam outros do mesmo ramo. Somente depois de sua validação que o novo serviço ou produto vai então ser desenvolvido e aperfeiçoado através de novos investimentos.

Curiosidade rápida

Você sabe quem inventou o MVP?
Embora sua prática na administração seja secular, o termo MVP foi firmado em 2001 por Frank Robinson, CEO da californiana SyncDev, e explorado no livro “A Startup Enxuta”, tornando-se um método de empreendedorismo muito utilizado por várias empresas nos últimos anos, sobretudo no meio digital.

fazer-mvp

Passo a passo para definir o MVP

Reduzir tempo com planejamento não quer dizer que não irá existir um planejamento. O conceito é não usar premissas demais e nem prever todas as possíveis situações que demandam tempo para serem testadas.

Caso você não tenha em mãos um protótipo ou ideia bem concebida para criar o seu MVP, uma boa dica é criar um Canvas que responda perguntas e elenque componentes como:

1.Nicho de clientes
2.Meios de abordagem
3.Relacionamento com o cliente
4.Fontes de receita
5.Recursos
6.Parceiros
7.Atividades
8.Estrutura de custos

Lembrando que estes são apenas alguns exemplos dos elementos que podem ser levantados.

Tendo seu novo produto ou serviço definido como ideia concreta, é hora de você captar os primeiros leads que utilizará como teste-piloto no processo de validação. Hoje em dia, muitas empresas adotam a estratégia de criar landing pages para apresentar o produto ao mercado pela primeira vez e juntar emails de potenciais interessados com perfil e algumas perguntas respondidas.

Depois disso, você precisa saber interpretar a reações dos seus primeiros potenciais clientes. Com base nisto, você deve criar métricas que serão usadas para validar seu MVP. Muito importante ressaltar que você precisa deixar o mercado falar por si, e não tentar distorcer para entender o que você quer ouvir. MVP's também servem para invalidar ideias.

Criado o protótipo inicial? Deixe que seus primeiros clientes ou interessados forneçam feedback. Essa etapa é muito importante para verificar o potencial e entender como eles se comportam ao utilizar o seu produto e serviço. Após a avaliação, enfim, é possível escalar e lançá-lo no mercado visando aprimorar sempre que for possível.

O que é MVP e para o que ele serve?
Compartilhe isto